terça-feira, 17 de novembro de 2009

Depoiemento de uma senhora

Tempo



Quantas vezes me disseram para eu não abusar e eu fui lá, bebi, fumei, usei todos os tipos de drogas, e agora? O que posso dizer é que não me arrependo de nada que eu fiz, eu vivi, seimplesmente, vivi tudo o que eu podia e não podia.

Mas eu sei que o tempo não vai esperar mais por mim, a cada dia que passa me sinto mais enrugada, mais cheia de quilos, mais pés-de-galinha, me olho no espelho e não me vejo como antes. As minhas roupas preferidas já não me cabem mais, o meu lugar não é mais aqui, eu não quero mais essa vida estranha que estou levando, cansei de tudo isso, cansei dos arrepios na espinha. Eu não era assim, eu não sou assim.


Eugênia, 71.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Quando dei por mim, já havia andado muitos quilometros a sua procura.
Mas por quê se você estava ao meu lado o tempo todo?!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Espero que tudo esteja nas mínimas ordens, não quero chegar e te encontrar chorando, triste, amargurada, você é importante, como sempre foi, como sempre será.


Entenda.


As palavras mais difíceis eu consegui dizer agora. E mais, eu amo! Amo muito, lembre-se.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Desilusão Ortográfica

Ela era linda e me fascinou assim que cheguei na festa da Ana.

- Ana, quem é? - Apontei com a cabeça em direção a moça de vestido florido e cabelos longos cor de mel.

- Amiga do Roberto. A vi, algumas vezes pela faculdade.

Ana foi receber os seus outros convidados e eu não queria perder tempo, fui logo procurar conversar com a moça. Ela estava perto da mesa de bebidas e eu fui me servir de um ponche. Agora estava ao meu lado, praticamente. Era a minha chance.

- Gosta?

- Sim. Gosto! Pode me servir?

- Claro.

A servi no ato, ela tinha uma pele bronzeada, os cabelos lindos, os olhos castanhos e a boca carnuda, gostosa de ver.

- Qual o seu nome? - Ela me perguntou assim que entreguei o copo com a bebida.

- Andressa. E o seu?

- Mariana.

A conversa ali fluiu, ela tinha um papo legal, parecia ser bem inteligente, falamos sobre política, signos, namoradas e o que mais pudéssemos imaginar que existiria no meio daquela mesa com as bebidas. Trocamos olhares e ela até me chamou para uma dança, que duraram mais outras e outras que eu decidi não contar, dançamos e não ficamos constrangidas com as pessoas nos olhando em volta.

Nos beijamos na frente dos amigos héteros da Ana e não nos importamos com nada. Mas já estava na hora de ir embora e decidi pegar telefone, e-mail e o que fosse preciso para poder localizá-la outra vez. Anotei tudo o que ela dizia com o meu lápis de olho preto num guardanapo usado e sobrevivente da festa.

No outro dia, a primeira coisa que fiz, foi adicioná-la no meu msn. O e-mail dela não era dos melhores, mas quem não teve um e-mail trash para o msn? Relevei.

Alguns minutos depois, a janela subiu

"Mary acabou de entrar"

Fui direto falar com ela, mas com um certo receio por estar correndo muito, então, resolvi deixar a janela aberta sem dizer nada mais. A foto de exibição era bela, pegava o perfil de seu rosto, os cabelos caídos, era uma foto em preto e branco. Duas coisas que eu adorava, fotos de perfil e foto em preto e branco.

- Acho que me darei bem, dessa vez. - Eu disse sozinha.

A janela piscou

Mary diz: Ola

Andressa diz: Oi, tudo bem?

Mary diz: quem eh vc?????

- Putz, que merda! - Falei com uma raiva no fundo da voz - tudo bem, a minha foto do perfil não é da minha pessoa, e o meu e-mail não era com o meu nome, mas tem o meu nome.

Mais uma vez, relevei.

Andressa diz: Ontem, festa, casa da Ana.

Mary diz: ah me lembro agora......tudo bem com tigo?

Não, eu não estava lendo aquilo, "com tigo?" quem é tigo? Fiquei pensando se eu continuaria a conversa, resolvi que sim.

Andressa diz: Comigo sim, e com você?

Mary diz: tudo serto.....soh estou um pouco cançada da festa de ontem

Não, não, eu não estava lendo aquilo, isso era o fim, fiquei pensando se ela era dislexa, como poderia uma menina linda dessas escrever tão errado desse jeito. Rebati, ou melhor, tentei ensiná-la.

Andressa diz: Eu acordei um pouco cansada, mas nada como um café, não é?!

Mary diz: o que tinha naquele ponxe, menina? rsrsrsrss

- Ah senhor, ainda bem que estou longe. - falei desanimada.

Mary diz: mais eu me lembro de tudo. lembro que o seu beijo é muito bom.

- Nessa altura eu já quero é distancia de você, gata. - passei a responder o que ela dizia em voz alta e no msn dizia o que servia para o momento.

Andressa diz: Uhum, sei. rs

Mary diz: eaí???? qual é a proscima vez que agente vai se ver denovo? fiquei louca por ti.

- Pelo o que eu vejo aqui, nunca mais. - eu estava irritada.

Andressa diz: ah não sei, tenho que ver umas coisas com a faculdade, sabe né? Fim de semestre, correria dobrada.

Mary diz: ah intendo vc. mais oh vou enssistir em vc viu.

Não, eu não aguentei isso.

Andressa diz: Lindinha, preciso sair agora, a gente se fala. Um beijo.

Sem dúvida nenhuma fui até o botão "Bloquear"

"Se você bloquear esse contato, ele não poderá conversar com você enquanto estiver online nem ver o seu status online" - li mentalmente.

- Ótimo! - eu disse aliviada

"Ok."

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Possessão


Maria chegou com sangue "nos óio" porque ficou sabendo que Julieta estava de tre-le-le com uma outra bandida das bandas de lá. Julieta se encontrava deitada na cama com a bunda pra cima. Jogou a bolsa no chão, agarrou em seu braço, a deixou de pé:

- Julieta, sua vadia, se eu descobrir que você tá me traindo com aquela bandida eu acabo com a sua vida, tá me entendendo?

- Ah, Maria, adoro quando você me pega assim. Vem aqui pra cama comigo.

Caíram na cama, Maria ainda apertava o braço da companheira:

- Você é só minha e de mais ninguém, você entendeu? Eu não tô brincando.

- Nem eu, vem aqui...

sábado, 7 de novembro de 2009

Passional

"Por mim você ficaria aqui pra sempre, mas você quer sair, quer ir embora, quer me deixar...
Eu vou te libertar, pode ir. Vai, corre.
Vai antes que eu me arrependa de tudo isso que eu estou falando. Não interessa porque tomei essa decisão, mas descobri que não posso fazer mais isso com você. Vai, vai embora caralho."

Ela saiu correndo sem olhar pra trás, aquele lugar dava medo nela, não entendi nada, mas o que me importa é que ela agora estava livre. Mas ele não queria isso, no fundo ele queria que ela ficasse ali com ele e morresse ao lado dele, pegou a arma que ficava sempre ao seu lado, com as seis balas, nunca usou. A viu ao longe correndo com o vestido de flores contra o vento, correu atras dela, a alcançou.

Abraçou.

Atirou uma vez.

Ela caiu, não tendo tempo para viver a liberdade.

Atirou pela segunda vez.

Caiu sobre o corpo dela.

Tudo começou assim...

Tudo bem
Estava inseguro
Pra lhe dar essa flor
Trouxe pra você
Tudo bem
A flor do futuro
Vai abrir mil caminhos
Você vai ver...
Rio de prazer
Um brilho de um olhar
Não vai dizer que não te adoro
Não vá (ou vá) dizer que não te adoro
Baby o que que há?
Baby o que que há?
Errei
Baby eu sei que há
Eu sei
Eu não vivo sem você...

Mísica: Flor do Futuro - Wilson Simoninha
Composição: Claudio Zoli e Bernardo Vilhena


E foi assim...