sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

dia-a-dia

Demorou para se levantar da cama, não achou os chinelos e discutiu com o primeiro que apareceu. Se arrependeu. Achou que havia falado demais, se desculpou dizendo que não aguentava mais.

sábado, 11 de dezembro de 2010

de uns tempos pra cá

eu senti uma vontade imensa de escrever para você hoje. me lembro muito bem que um dia você me pediu isso, achei lindo mas me perguntei se eu saberia fazer isso, foi estranho também, nunca tinham me pedido isso. me perguntei - também - se você ainda se lembrava, ou sei lá, se um dia você irá ler tudo isso. pensei em te ligar, queria/quero saber de você, como estão as coisas, a vida, a mulher, as viagens, os trabalhos, tudo. era bonito ler você falando de suas paixões, dos amores, das vontades.
sabe que sinto saudades das broncas que cada um dava em cada um (mais eu em você do que você em mim)! (risos).
eu lembro de quando passávamos horas e mais horas conversando e que nós nos aconselhávamos a fazer coisas estranhas e, ao mesmo tempo, dizíamos que eu deveríamos fazer o que eu achávamos melhor, a cabeça era minha/sua, o coração também.
eu lembro de você quando ouço essa música, você gostava tanto.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

pois é.

"morrer de amor não é difícil, não
se atirar do edifício.
viver de amor é que é difícil."

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

voa, voa, voa para bem longe nos olhos do meu amor

É quando a boca bebe
O líquido do mar
E fica embriagada
Toda abandonada
Como se calada
Rouca de falar

terça-feira, 9 de novembro de 2010

todo mundo já morreu

eu morri muitas vezes, mas hoje eu não quero jogar no lixo, quero fazer reciclagem.

"ninguém sabe a natureza dos meus infernos diários"

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

merrrda

eu to com uma vontade danada de sair correndo daqui e te agarrar em qualquer lugar, te trazer para os meus braços e, e, e... fiquei sem palavras agora, o pensamento foi longe.
aaah, merrrda.
te quero.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

é na beira do mar

Pessoas e coisas que vão se arrastando
Do meu pensamento já podem lavar
Ah! no peixe de asas eu quero voar
Sair do oceano de tez poluída
Cantar um galope fechando a ferida
Que só cicatriza na beira do mar

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

o tempo não passa quando é para vê-lo, mas voa quando estamos juntos.

domingo, 17 de outubro de 2010

aceito!


não quer dizer que matei a saudade, toda a saudade que ainda me cabe, que cabe aqui dentro, mas... ahhh, cuidou um bocadinho e aceito que cuide um pouco mais.
amo.
e... fim.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

de-se-jo-de-vo-cê

terça-feira, 12 de outubro de 2010

sim, você.

quero beijos longos e sinceros, quero a mão suada na minha cintura, quero um cheiro na nuca, uma lambida nas costas e... é, eu quero você.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

o tempo não passa...

... e a saudade ainda vai bater no teto

já dizia zeca baleiro.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

nem chico

estávamos deitados na cama ouvindo chico buarque e ele me dizia "presta a atenção nessa letra é muito espetacular, na verdade, cara é muito espetacular"
detalhe: não tem como prestar a atenção em outra coisa quando você está ao meu lado, nem em chico.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

and you tell me


"Days are longer
Nights are crazy
It's so strange when you're away"

domingo, 26 de setembro de 2010

felicidade

é tão grande que já não me cabe!

fim.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

ansiedade

eu to falando muito, falando um pouco mais que o normal há dias atrás, sabe? acho que isso é ansiedade, também. é, eu acho. eu quero que chegue logo! e quando chegar eu quero que demore a passar. sem pressa. pressa nenhuma.
se possível, que cada segundo dure uma hora.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

amendoim

eu não quero te acordar, mas quero compartilhar com você o tamanho disso que eu sinto, ou melhor, que estou sentindo, mas eu não sei o que é e não sei o tamanho, mas sei que é grande. é algo bom, isso eu posso te dizer. e é bom mesmo, acho que você entende o que eu digo, você deve se sentir assim também, agora. sim, agora, hoje, nos tempos de hoje, não?
eu sinto saudades de você. muitas saudades.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

disso ou daquilo

quero escrever mais, fotografar mais, ouvir mais músicas - boas -, matar mais a saudade, conversar mais, sair mais, viajar mais, conhecer mais...
ou nada disso.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

1-9

quem passou agosto esperando setembro? não, não fui eu.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

que porra.

não muito inteligente
sem muitos assuntos
sem muitas explicações
não dá pra entender, entende? não, não precisa.
eu gosto disso, mesmo assim.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ritual

"Tantas histórias de um grande amor perdido
Terras perdidas, precipícios
Faz sacrifícios, imola mil virgens
Uma por uma, milhares de dias"



Cazuza

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

devaneio VIII

tantas coisas guardadas pra dizer, mas não disse nada, e não vou dizer agora, não agora. talvez eu não diga mais, eu com essas manias de guardar essas pequenas coisas, estranho, pra mim não é pequeno, não é nada pequeno. só que, algumas vezes, acho tudo tão vago, tão remoto...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

devaneio VII

acorde-me no meio de uma noite fria de agosto acariciando os meus cabelos cacheados e com um beijo molhado em minha nuca.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

coisas

coisas dentro, coisas fora, coisas enigmáticas, coisas inexistentes, coisas, só coisas minhas, coisas suas, coisas nossas. gosto assim, de você assim, todo assim, assim pra mim cheio de coisas.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

quando os sentimentos começam a ficar muito pessoais, pessoais no sentido de muito mais meus e muito mais diferente, entende? eu não entendo direito, então... é a hora que eu percebo que não tenho mais muito o que fazer.

terça-feira, 20 de julho de 2010

sinto o cheiro de sua pele. o gosto do seu beijo. o sopro na minha nuca. o seu braço na minha cintura. vejo as suas caras e bocas. o seu sorriso. a atenção. sinto aquilo que não sei.

domingo, 18 de julho de 2010

devaneio VI

a ponta da língua que percorreu a ponta do meu mamilo, minha barriga, meu colo, o meu corpo, todo o corpo naquela manhã fria foi o que me deu calor junto de arrepios inexplicáveis. não existem explicações para o involuntário.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

devaneio V

nunca mais se falaram, será que ela conseguiu fazer com que ele fosse embora? agora ela confessa que sente falta das broncas, dos conselhos, dos desastres, dos gritos que ela dava quando ele não calava a boca ou quando ele falava algo que a irritava. mas ela mesma, me fala agora: não sinto falta. não sei, ela me fala com dúvida. e continua: tá, ok. ele me deu muitos conselhos e falou que eu teria que saber como mandá-lo embora, consegui mandar? sem fazer nada?

terça-feira, 13 de julho de 2010

não por hoje

não quero que o telefone toque.
não quero ler suas mensagens.
não quero te ver.
não quero que você se foda.
não quero que me esqueça.
não quero você.
não por hoje.
Ao som de:
Who Says
John Mayer
Composição: John Mayer

sábado, 10 de julho de 2010

omeuoseuonosso

o meu corpo é o seu corpo.
o meu suor é o seu suor.
o meu coração é o seu coração.
e é seu. só seu.

terça-feira, 6 de julho de 2010

ei,

eu quero muito gritar na sua cara.
a ansiedade de você me corre, vem rasgando de dentro pra fora... é sem controle. vem, te espero. vem logo me curar dessa abstinência de você.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

o seu toque está em minha pele como se fosse cicatriz.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

o quase tarde.


o coração dela já palpita com os pensamentos positivos, eu sempre disse a ela: admiro muito o seu otimismo. ela nem ligava, achava que eu estava zombando dela e não era nada disso, não mesmo, ela entende, mas tenta me enganar. dizer que não, que as coisas não são assim. agora descobrimos juntas a forma de mudar essa história. ela sempre falando das borboletas que encontra, quando acorda, quando vai dormir, quando vai comer, quando o telefone toca, é uma loucura só, já pedi para ela ter calma, tanto ela, quando eu sabemos que tudo se resolve com o tempo, que o tempo é o amigo das horas, tudo bem que existe a tal impaciência, algo que ela não entende é que tem que ter calma, que quando menos esperar vai aparecer, vai acontecer. aquilo de quase tarde.

ao som de:
California Dreamin'
The Mamas and the Papas

Composição: John Phillips / Michelle Phillips

sábado, 26 de junho de 2010

devaneio IV

aqui dentro tudo rasga, é forte, é quente, eu vejo uma imagem sua refletida a mim, não. não. não. você sabe, eu sei que sabe, eu sei que sente também, sente que está jorrando o que há de bom aqui o bom que você não quer pegar. mas não, eu não vou dizer que quando você quiser sentir será tarde, não vou, não vou porque eu sinto algo me dizendo que você quer, que você me quer, mas muitas coisas dentro de você diz para não querer e tudo por causa do desconhecido, aquela imagem, aquele caráter. sinto algo mais, sinto que está próximo, sinto o seu cheiro, sinto você se aproximando, me pegando na cintura, me mordendo, beijando minha nuca... e... e...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

não entenda, apenas sinta.
o que sentir, guarde pra ti.
não jogue fora, não esqueça.
lembre-se diariamente.
você vai lembrar.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

devaneio III


Venho me impressionando com ele, eu já não sinto mais medo, não como antes, eu até converso agora, mesmo não querendo falar, ao mesmo tempo eu quero alguém para conversar, sabe, as vezes eu me acho sozinha e ele percebe e fica falando no meu ouvido, mas ele fala sem parar e, muitas vezes, sou grossa, não quero ouvir ninguém, mas quero conversar, depois disso ele começa com a estupidez de antes e vem, novamente, o medo, aquele medo antigo dentro de mim, eu sei que ele não pode fazer nada contra mim, eu pelo menos penso que não pode.
Hoje ele me disse o seu nome, Rui, brinquei falando umas coisas engraçadas e consegui falar outras coisas, mas ele não gosta das minhas piadas, eu não sei porque que ele ainda insiste em falar comigo, eu não faço questão porque a gente não se dá bem, nós já percebemos essa parte, ele só informa: eu não vou sair daqui, você me descobriu, agora descubra a forma de eu ir embora.

terça-feira, 8 de junho de 2010

convivendo com o desconhecido

É tudo aquilo que está preso dentro do peito, o que eu não posso tirar, ainda não posso, mas o que pode acontecer se ele permanecer, às vezes eu vejo e a gente conversa, ou eu mesma converso com ele, ou só ele fala pra eu ouvir, ele não quer sair, ouço sempre isso:
- Eu não vou, me aguenta, agora que me descobriu aqui, eu estava na minha, eu não entendo vocês, porque mexer no que está quieto, você veio me procurar, seria melhor pra você se estivesse ficado onde estava, seguindo a sua vida cheia de estupidez, não adianta chorar, você sabe do que eu to falando.
- Tudo bem. - eu respondo atônita e cheia de dúvidas, cheia de ironias, cheia de mágoas.
Será que um dia esse monstro que eu vejo vai sair daqui de dentro? Será que um dia eu vou conseguir me olhar no espelho e não vê-lo, será que uma noite qualquer eu vou conseguir não ouvir a sua voz? Pelo menos a voz.
- E o que você vai fazer com as dúvidas, as mágoas, os pesadelos, os apelos?
- Isso tudo vai passar quando você resolver ir.
- Mas eu não vou.
- Me faça um favor enquanto estiver por aqui, então?
- Qual?
- Não fale mais comigo.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

devaneio II

Por um determinado momento da vida de um ser humano, pode ser dizer, de uma forma estranha, uma coisa que não se dá para explicar e que fica sem nexo, da forma desse texto. O que não é para entender, o que não é para sentir e que, na verdade, não é nem para ser lido.
Agora eu sinto nojo, asco, uma péssima sensação, parece que ela tá em mim, toda parte do meu corpo sente a presença dela, tudo culpa dela. Dela. A barata.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

- O que é que tanto você ri?

- De tudo, da vida, dos sorrisos alheios, das minhas lágrimas, do meu ser, do meu ventre, do meu gosto, da minha vontade, da minha loucura lúcida, da minha mágoa, dos meus erros, do veneno que eu tomei querendo que outro alguém morresse, do vél branco que esconde o meu rosto, do desejo que não existe aqui, do olhar, da magia, da amizade, do prazer, do sexo.
Eu riu porque tenho medo, ela já dizia, ela me disse que tenho medo da felicidade, que encontro a felicidade, mas quero que ela se vá, quero que ela vá pra eu ir atrás e pegá-la novamente, como se fosse um jogo de esconde-esconde. é o medo do fracasso, isso ela não me disse, mas isso eu não sou tola para não entender que era o que ela queria me dizer, mas eu tento rir, o riso amarelo que não encanta e nem desencanta.

domingo, 30 de maio de 2010

do que tem

. uma película de sorriso . uma gota de lágrima . uma mulher a flor da pele . o amor inexistente . o sonho não realizado .

doce

um pote de mel.
um mel de pote.
de mel um pote.
de pote um mel.

acorda

acordaterra
acorda terra
a cor da terra

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Nada, nada, passou. Já era, você perdeu, talvez você ainda a tenha de volta. De volta? Como se nunca a teve? Impossível. Na verdade, ela quer que tudo se f#d@.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

devaneio I

está preso, preso aqui dentro de mim, não sei como tirar, não sei como abrir, me disseram que uma hora vai passar, mas e se não passar? o que será? será algo menos? será a mais? não será nada? será o tempo? o que será?
não dá pra sentir, são enganos, vidas dos outros, vidas que não tem o que fazer mais, vidas que não voltam, mas quero novas aqui, e você é novo, é tudo novo, está tudo novo, mesmo sendo algo já velho, não, não é velho, estamos equivocados, só precisamos nos permitir, só precisamos deixar o que tem pra acontecer, acontecer, simples assim, a-con-te-cer. eu sei que você tem medo, eu sei, é normal, é algo que se aprende aos poucos, eu tenho muito o que aprender ainda, você sabe, vivemos tão pouco, a vida é curta, não dá pra deixar pequenas oportunidades que viram grandes oportunidades passarem, não podemos, e essa chance é única, você sabe que é única, mas eu sei que eu posso esperar, não sei se você irá entender dessa forma e sei que você não anda se preocupando com tudo isso, na verdade, eu sei que você não vai ver tudo isso, eu sei que é passageiro, sim, vamos deixar passar. por hoje passa... e amanhã?

segunda-feira, 17 de maio de 2010

E dentro dos olhos, com cor vermelha, com amor e ódio, juntos, pra sempre, ou não.


terça-feira, 4 de maio de 2010

veracidade

veracidade
ver a cidade
vera cidade

domingo, 18 de abril de 2010

all
you
need
is
love

sábado, 20 de março de 2010

Engraçada a sua posição.
Não vejo nada de bom nisso. Se é que me entende.
Ha ha ha ha ha.
Irônica?
Eu? Como ousa dizer isso?
Jamais =T

sexta-feira, 19 de março de 2010

CORTA


Elas estavam com os textos gravados na cabeça, iam falar tudo sem pensar, como se fosse um teatro, uma novela, um filme.

Na hora, lágrimas, palavras mal ditas, mal entendidas. O texto completamente errado. Desconexo, nada como haviam ensaiado.

Havia dor, mágua, amargura, menos rancor. Não, não havia.

- CORTA! Não é assim.

Tudo resolvido (ou não).

quinta-feira, 18 de março de 2010

Não espere uma ligação


Não, não, nada pessoal, é sério. Só que, assim, me sinto melhor do jeito que ando levando. Prefiro assim, acho que as coisas andam mais, entende? Não, você não entende, não entende porque só vê aquilo que você quer ver, to errado? TO ERRADO SUA, SUA, SUA, sua...vaca? Você não entendeu que foi só aquela noite e que nada mais aconteceria? A não ser que eu me apaixonasse, o que não aconteceu ha ha ha ha. Não, não não chora, por favor, não. Olha vamos lá, vamos tomar um café, fumar um cigarro e tentar entender o que está acontecendo, depois podemos ir pra outro lugar, mais reservado, o que acha? Tudo bem então, mas não espere que eu acorde ao seu lado e uma ligação amanhã de manhã.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Foi a moça de cabelos longos e negros que o encantou. Ele trabalhava na banca de jornal do seu tio. A manhã era fria, início de inverno. Ela parou para pedir informação. ele ficou estático, apenas olhando para os movimentos que a sua boca fazia. Deixou cair uma pilha de jornais que estavam em seus braços, ouviu a risada dela. Sorriu quando se abaixou. Levantou-se e quando a procurou não achou.

terça-feira, 9 de março de 2010

não vejo nada.


E eu não vejo ninguém.

Não vejo nada.

Não quero ver.

Não tenho o que ver.

Não me admiro.

E nada é mais tão interessante.

segunda-feira, 1 de março de 2010

SSA

eu vou pra salvador
atrás do meu amor
que me deixou aqui sem calor
nessa cidade que é um horror
e sem nenhum pudor
eu já fico com pavor
e peço, por favor
mas ela diz, vai com calma flor
não tem pra quê tanto temor
Eu espero voltar com a minha caixa de morangos, a de pêssegos e os meus lindos abacaxis sem coroa. Se não voltar, não tem problema, eu sei onde fica a quitanda.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Se possível

Se for possível, só se possível, não quero atrapalhar a sua vida, não mesmo, mas se for possível, me tira dessa vida de angústias, lágrimas e música ruim.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Seria mesmo?


Se eu conseguir, eu saio correndo e não volto mais. Só pra poder fazer aquilo que eu não quero, ou não posso, seria isso?

Seria mais patético do que qualquer coisa.

Seria algo mais que estranho.

Ou não seria nada.

Seria?

Será que tem alguém aí?

E aqui?

Aqui não.

O que há aqui são pernas, braços, asas...

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Pulando do décimo segundo andar

Se nada mais der certo, eu pulo do décimo segundo andar do seu prédio. Faço um estrago na avenida mais bonita de São Paulo. Deixo você morta... não como eu... morta de vergonha, ou seria de remorso?

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

I miss you


Sinto o seu cheiro, o cheiro bom dos seus cabelos, sinto saudade, saudade da sua pele macia, da vontade que tenho de estar ao seu lado, saudade de tudo o que fazemos juntas, sinto saudade daquilo que ainda não aconteceu, saudade de você, de você por inteira nos meus braços, no meu abraço apertado. Sinto, sinto a sua falta.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Ninguém vai entender. Eu não quero SÓ uma profissão, eu quero uma carreira e vou atras disso. Sim, é isso que eu digo, eu vou atras do que eu quero pra mim. Tenho muito o que viver ainda, nessa vida de escolhas e eu escolhi esperar um pouco mais e ter aquilo que EU quero, aquilo que EU acho bom pra mim. Obrigadar por me entender, me apoiar e estar aqui comigo.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Quando estou com ela.


Um dos momentos em que me sinto bem.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

te vejo nas nuvens


acordei, tomei café, liguei a TV, desliguei, tomei banho, saí, cheirei as margaridas do meu jardim, fiquei abaixo do sol, olhei as nuvens e observavei os desenhos que formavam, eu via você. A mais linda dançando no céu.

sábado, 9 de janeiro de 2010

escondida


Às vezes, sinto vontade de chorar sem nenhum motivo.

Eu choro.

escondida...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Sonhando


Eu sonhei que escrevia milhões de coisas.
Acordei e todos os sonhos foram embora.
Minha mente só pedia: cama, cama, cama, cama.