sexta-feira, 18 de junho de 2010

devaneio III


Venho me impressionando com ele, eu já não sinto mais medo, não como antes, eu até converso agora, mesmo não querendo falar, ao mesmo tempo eu quero alguém para conversar, sabe, as vezes eu me acho sozinha e ele percebe e fica falando no meu ouvido, mas ele fala sem parar e, muitas vezes, sou grossa, não quero ouvir ninguém, mas quero conversar, depois disso ele começa com a estupidez de antes e vem, novamente, o medo, aquele medo antigo dentro de mim, eu sei que ele não pode fazer nada contra mim, eu pelo menos penso que não pode.
Hoje ele me disse o seu nome, Rui, brinquei falando umas coisas engraçadas e consegui falar outras coisas, mas ele não gosta das minhas piadas, eu não sei porque que ele ainda insiste em falar comigo, eu não faço questão porque a gente não se dá bem, nós já percebemos essa parte, ele só informa: eu não vou sair daqui, você me descobriu, agora descubra a forma de eu ir embora.

Nenhum comentário: