quarta-feira, 4 de agosto de 2010

devaneio VIII

tantas coisas guardadas pra dizer, mas não disse nada, e não vou dizer agora, não agora. talvez eu não diga mais, eu com essas manias de guardar essas pequenas coisas, estranho, pra mim não é pequeno, não é nada pequeno. só que, algumas vezes, acho tudo tão vago, tão remoto...

2 comentários:

Carlos Escaleno disse...

Pois não era disso mesmo que estávamos tentando falar um com o outro? Não era da relatividade da importância das coisas que relamente não tocam? Da maneira como nosso olho consegue medir certas coisas que outros olhos se quer conseguem ver?
É tudo tão vago e tão remoto como convém às coisas que são intensas.

flor disse...

era, era isso.