domingo, 14 de dezembro de 2014

Passou a fumar descontroladamente. Sentia uma vontade de desaparecer, não morrer, mas ficar invisível, ou se afundar em uma lama, mas lembrou que na lama já estava, e seu coração, estava morto e preso, estava frio e duro. Queria poder dormir e acordar quando todas as suas decepções tivessem passado. Estava triste e não conseguia mais esconder, esconder da forma que escondeu outras vezes. Pedia explicações, mas já não entendia e não queria entender nada e nem porque queria explicações algo, não era preciso, nada mais é preciso.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Acordou de um sonho desconfortável e nunca mais dormiu

"Essa brincadeira de ficar sem nada sério, não sei se funciona mais."
Era o que começava o e-mail. Não lembrava o restante, mas respondeu:
"Não precisa ser mais brincadeira, tudo pode ser sério, como foi até hoje."

terça-feira, 10 de junho de 2014

paz

Se sentia calma, por mais que estivesse fechada para o mundo.
Queria paz interior, só paz. Não procurava ninguém, não queria que nada acontecesse de uma maneira premeditada, não esperava nada de ninguém, não queria ninguém, mas se aparecesse alguém que a ajudasse a abrir as portas, ela estava ali, estava ali e disposta a abrir as portas mais uma vez.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

cópia!

Me vejo tirando fotos pra você... como um Ctrol + C / Ctrol + V

terça-feira, 13 de maio de 2014

meeeeeeu


Meu/minha = pronome possessivo, todos aqueles que indicam posse.
(fácil de interpretar)
Tudo se explica porque algumas pessoas tem medo do pronome "meu/minha". Não é menosprezando a inteligência alheia, mas acredito que algumas pessoas não saibam que "meu/minha" é possessivo, pronome... mas sabem que é pronome, ou sabem que é possessivo e não um pronome?
Porém, o inconsciente deve mandar uma mensagem no exato momento em que ouve essa minúscula palavra por ser... possessivo...

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O mundo não era de fantasia e as nuvens não eram de algodão.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

memória


ouvia os cantos dos pássaros e de nada se preocupava, perdeu tantas coisas, amores, amigos, enfim percebeu que nada era dela de verdade, nem a memória.
eles se encontraram, foi intenso, foi perfeito, sem palavras bonitas, sem carinho, sem afeto, muito menos amor, ele sumiu, ela sumiu, eles voltaram, com afeto, com carinho, muito carinho... sem amor... ele sumiu!

domingo, 30 de março de 2014

ela não existe

Ela é uma moça linda!
A pele alva, cabelos encaracolados, escuros e longos que cobriam os seios. Não usava maquiagem nos olhos pretos de jabuticaba, não precisava de batom nos lábios cor de cereja, a pele era perfeita como o pêssego. Mostrava todas as profundezas e não escondia seus problemas, não escondia as tristezas, a felicidade, a imperatividade, não olhava nos olhos e não fotografava os segredos, ela não existia.