terça-feira, 10 de junho de 2014

paz

Se sentia calma, por mais que estivesse fechada para o mundo.
Queria paz interior, só paz. Não procurava ninguém, não queria que nada acontecesse de uma maneira premeditada, não esperava nada de ninguém, não queria ninguém, mas se aparecesse alguém que a ajudasse a abrir as portas, ela estava ali, estava ali e disposta a abrir as portas mais uma vez.